Python

Decidi mergulhar em Python! Já tinha começado a ler alguns tópicos, tempos atrás. Mas, como estava trabalhando com Ruby e Rails acabei focando mais na dupla.

Adoro ruby, gosto bastante de Rails mas decidi focar meus estudos agora em Python. Acho válido e importante conhecer novas linguagens!

Já de início gostei da comunidade Python! :)

Em breve estarei postando um pouco mais sobre a minha “jornada”!

(english version)

I decided to dive into Python! I had already been reading some topics, some time ago. But, as i was working with Ruby and Rails, i ended up focusing on the duo.

I adore ruby, i really like Rails. But I decided that i want to focus my studies in Python. I think it’s valid and important to learn new languages!

I already like the Python Community!

Soon I’ll be posting about my journey!

See yah!

Basic nostalgia :)

Basic nostalgia :)

The best way to have good ideas, is to have a lot of ideas.
Dr. Linus Pauling
ref. by Tom Preston-Werner at Startup School 2010: Optimizing for happiness - 1 / 2

Creating my First Gem

Days ago i decided to create a simple “app” that could rename a rails project.
More than twice, after creating a rails app, i realized that i wanted a better name.
So what? I deleted the new app and then rails new again…
The idea was born…and then a good friend of mine asked me: tati, why don’t you create a gem to do that? And i thought: well, nice…so i started reading more about making a gem…

I will keep a list of my reading-refs-and-links here.

see yah!

2 notes

Heroku + sending mail + cartao de credito

Criei uma app no Heroku e li que eles recomendam o sendgrid para enviar emails. O link esta aqui mas…um detalhe….mesmo optando pela versao free, antes de comecar a usa-lo temos que passar por uma verificacao…temos que dar os dados do nosso cartao de credito….putz! como estou sem cartao, estou tendo que optar pela alternativa de usar o gmail. Por este link eles mostram como configurar. Detalhe que o link é de 2009…vou descobrir daqui a pouco o que mudou.

Git Immersion e memória

Ao postar ontem alguns links de referência para o Git, achei um que acabou não entrando…e que na verdade “apareceu” no delicious…Fui dar uma olhada agora e achei bem bacana! O link é esse, Git Immersion. Ele é dividido em 53 “Labs”. Tem um índice bem bacaninha, ao se clicar no”i”. Vale a pena tê-lo como referência em algum bookmark :)

Como tenho usado o git com mais frequência, vira e mexe esqueço algum comando, e ai tenho que apelar para as minhas “anotações”….que ainda não viraram um cheat-sheet….dai perco um tempinho…Semana passada acabei imprimindo o Cheat do errtheblog…quebra-galho bom!

Mas, prosseguindo….Quando fui ver quem estava por trás do Git Immersion, me deparei com o nome do Jim Weirich…Atualmente minha memória tem me “pregado peças” rsrsrs sabia que já tinha ouvido este nome!!!

O Jim Weirich atualmente trabalha no EdgeCase como Chief Scientist. Dando uma lida no “about” deles: "We are a team of talented software artisans who love solving problems. Our dedicated group of developers and artists have individual expertise in areas such as usability, security, enterprise application integration, and business analysis. Passionate about software development, we are driven by the challenge of what we do.". O Jim é bem ativo na comunidade Ruby e deu sua contribuição em projetos como: Rake e RubyGems .

Ao ver a fotinho dele não pude esquecer. Já tinha “cruzado” com ele diversas vezes…Visto alguma apresentação…lido posts no blog dele.

Isso me faz lembrar um post recente do Eustáquio Rangel: “Um pouco de história de ruby nesse começo de ano”…

No post em questão ele cita várias pessoas que contribuiram para a divulgação do ruby no Brasil e que nem sempre são mencionados. Acho isso importante.

Lendo alguns comentários agora parece que rolou uma pequena “polêmica” , alguém até dizendo que o post era “pointless”…rsrsrs

Enfim…não que acho que agente deva “vomitar” nomes…mas, sempre que eu leio, vejo alguma coisa interessante eu procuro saber quem está “por trás”, quem foi a “mente” ou “mentes criadoras”…até para saber o que mais de legal essa pessoa produziu.

Enfim…uma coisa ligou a outra…

Inté!

To haml or not to haml

Essa semana me deparei com um bom exemplo de como é importante utilizarmos a “rotina” de testar nosso código e nossas alterações. Some-se a isso o caso de você estar num ambiente onde você não é a única pessoa que está mexendo no código, ou seja, está trabalhando em equipe e está usando algum sistema de controle de versão, git por exemplo, que é o que eu tenho adotado.
Claro que podemos “voltar atrás” e ignorar aquele commit “falho” mas…se pudermos evitar isso….porque não testarmos antes?

O que me aconteceu não foi nada “demais”…mas me serviu de lição.
Estava fazendo pequenas alterações numa app em rails. Essa app usa haml. Para que não conhece ela é uma “markup language” que tem o intuito de “facilitar” quem vai codificar em HTML. Existe também sua “irmã”, a Sass, que, de acordo com seu site “is a meta-language on top of CSS that’s used to describe the style of a document cleanly and structurally, with more power than flat CSS allows”. Enfim. Eu nunca tinha usado haml e a minha primeira impressão não foi boa rsrsrs Digo isso pois, eu estava a”acostumada” a ler HTML…e apesar de

ser “mais limpo” e “curto” do que

me causou uma “estranheza”….não era uma só linha de código…no “todo” me “embaralhou” a visão.

Prometo que em algum momento tentarei “treinar” meus olhos…darei uma segunda chance ao haml :)

Divagações à parte…além do estranhamento eu acabei sendo uma “vítima” do haml.
Dei uma “mexidinha” no arquivo e acabou que mexi também com a identação!!! Resultado, isso causou um erro que eu não conseguia enxergar por nada! rsrsrs
O arquivo em questão formatava um mail que era disparado….tinha um title e um body, algumas divs…Depois da minha “mexidinha”, esse mail era disparado só que o bendito corpo do mail “desaparecia”….razão disso…os divs, o body “entraram” no title…e, quem “acusaria” isso? pois é….quem me salvou foi novamente meu amigo Elomar, que teve a “santa paciência Batman!” de sentar ao meu lado e, passo-a-passo, checar o que poderia estar errado….e achou! Eu estava procurando por “todos os lados”, até cheguei a “voltar com os meus commits”….mas…nada….

Com este “simples acontecimento” me prometi:

- criar um novo branch ao fazer alguma modificação;
- testar partes importantes da app antes de dar um commit e um merge;
- fazer commits curtos;
- ao dar um commit, criar mensagens que reflitam minhas mudanças;
- continuar estudando sobre testes;
- continuar estudando git :)

E, para finalizar, um elogio :)
Acho bem bacana o visual dos “personagens” Haml e Sass…visual anos 50….
Gosto também de uma das definições do Haml: { markup haiku }

Links:
Haml
Sass
Git:
Git Reference
Git Home
Pro Git Book
Git cheat-sheet

Silly me: ruby subtraction was right duh!! and something about a “necessary” evil or not!

(Voltando ao post anterior… ruby subtraction). Como eu já suspeitava, eu não notei um pequeno “detalhe”:

"palavra \n" e "palavra\n", realmente são diferentes rsrsrs. Agradeço meu amigo Elomar que, numa primeira olhada, notou o espaço…

Isso me leva a não esquecer o quanto os detalhes são importantes…uma vírgula a mais, um ponto a menos, algo não “identado” (haml te lembra algo?) podem causar alguma dor de cabeça, ao investigarmos o possível problema de nosso código que “teima” em dar algum erro…digo “teima” pois na verdade, quem “teima” em não ser “atento” somos nós, coders…mas essa é uma qualidade que vem com o tempo…depois de ter passado por alguns apertos e depois se dar conta de que, na verdade, aquele erro “cabeludo” era a falta de algo….ok, talvez seja hora de consultar um oculista rsrsrs

Mudando de assunto…hoje pesquisando sobre forms achei esse livro interessantíssimo: “Web Form Design - Filling in the blanks”, do Luke Wroblewski….A capa dele me fisgou! Depois é que me dei conta que, tempos atrás já tinha lido sobre uma das palestras dele: “Learning to love forms”, que acabou ficando “esquecido” em algum bookmark meu… shame on me! Do pouco que eu li até agora, gostei bastante…Parece que o rapaz trabalhou no eBay. O livro é dedicado a “For everyone who has had to fill in a form.” Recomendo! Num futuro post volto a ele…é um ótimo tema. envolve várias questões….os detalhes também ;) Fui-me!

Strange Ruby Output

Playing around with ruby subtraction i ran into this:

but this works…

strange humn? or maybe i’m not spotting what “I” done wrong, not ruby.
I tested with other files and words and that didn’t happen …

The compiler doesn’t care whether the code is ugly or clean. But when we change the system, there is a human involved, and humans do care.
Refactoring: Improving the Design of Existing Code